O que você não deve assistir no fim de semana #14

Muita cor, pouca qualidade.

Muita cor, pouca qualidade.

O Teleguiado posta toda sexta-feira uma lista com os piores programas transmitidos pela TV no fim de semana.

Você confere os eleitos (?) a partir de agora.
I Could Kill For Dessert
Sexta, 15h, VH1

Por que não assistir?  Os programas de gastronomia estão cada vez mais populares na TV brasileira – sobretudo entre os canais pagos. O excesso de oferta tem motivado os programadores a buscarem formatos diferentes, mais “comportamentais”. “I Could Kill For Dessert” é um desses híbridos desagradáveis. Para apresentar uma receita, a chef precisa desfilar seu estilo (cafona) de vida, compartilhar sua intimidade e sorrir o tempo todo. Ninguém precisa disso para enrolar brigadeiro.

A Novela Das 8
Sábado, 7h15, Telecine Premium

Por que não assistir? O Brasil precisava criar um filme em que sua história (tanto faz qual) fosse contada paralelamente a uma novela. Era uma questão de honra. Um fetiche. Dirigido por Odilon Rocha, “A Novela Das 8” mistura ditadura militar e Dancin Days para preencher esse vazio cinematográfico. O resultado final provou que, na verdade, o Brasil não precisava criar um filme em que sua história (tanto faz qual) fosse contada paralelamente a uma novela.

O Belo e As Feras
Sábado, 18h15, Canal Viva

Por que não assistir? 1) O trocadilho do título. 2) É sitcom brasileiro. 3) É protagonizado por Chico Anysio. 4) Você realmente precisa de um quarto motivo?

Paraísos Artificiais
Sábado, 20h00, Telecine Touch

Por que não assistir? Um garoto e duas garotas vão parar em um festival chamado Shangri-La (poderia ser Gingko Biloba). Influenciados pela música e pela arte, começam a se relacionar de maneira intensa, sem notar que estão mudando o rumo de suas vidas.  Tenho a impressão de que o diretor gostava muito de “Avatar” e “Matrix”. Também tenho a impressão que o fanatismo não fez bem para o filme.

Como Perder Um Homem Em Dez Dias
Domingo, 16h40, tbs

Por que não assistir? Se está em casa, interessada em ver isso, é porque o homem você já perdeu.  Assim, não precisa perder também o tempo.

Anúncios

VH1 R.I.P

Nova identidade visual do canal.

Nova identidade visual do canal.

Cadê a música?

A nova grade de programação da VH1, apresentada a nós como a irmã mais velha da MTV, colocou a cultura pop no bolso e praticamente isolou os clipes em faixas periféricas.

Da velha guarda, nem o “Zzz”, generoso bloco insone que mesclava vídeos novos e velhos, conseguiu nova chance.

O primeiro clipe da madrugada sai da caixinha só às 3 da manhã, dentro da playlist “NEO”, também veiculada às 19 horas. A faixa dedicada aos clássicos, exibida antes do “Zzz” anos atrás, mudou de nome, estilo e horário. Fica no buraco das 5 da manhã, no breu entre o sono profundo e a agonia de não ter pregado o olho sabendo que o despertador está prestes a tocar.

Durante as manhãs a situação é menos caótica. Todas as horas são preenchidas com música. Além do VH1 Solar, servido após o desjejum da audiência, a VH1 reprisa (!) algumas sequências vespertinas e noturnas, como a “Moods”, a “Megahits” e  a “10 clipes 10”, versão diminuta de “Os 60 Melhores Clipes”, programa que se perdeu nas drogas e qualquer dia protagonizará um “Behind The Music”.

A grade “não musical” do canal também piorou consideravelmente desde a recauchutagem promovida no trimestre. Além das infinitas reprises de “Storytellers”, “Biografia”, “That Metal Show” e “Video Killed The Radio Star”, que incomodam muito, a emissora resolveu apostar em programas de comportamento e estilo com uma pegada muito mais parecida com a do “Glitz”. Estratégia para agregar público que pode, antes de render resultados, afugentar os antigos telespectadores.

Passo a passo, a VH1 parece repetir no Brasil os erros da direção da MTV. É verdade que o YouTube gerou uma nova cultura no consumo de vídeos, que influencia até a ficção (daí as webséries, tão valorizadas), mas a migração não é total, como supõem os diretores dos canais musicais.

Nos Estados Unidos, MTV e VH1 iniciaram o corte dos clipes antes mesmo do iPhone porque possuíam canais satélites – como a MTV2. No Brasil, o máximo que temos neste sentido, é a VH1 MegaHits, que exibe basicamente sucessos da Billboard americana.  Assim, samplear a lógica do mercado externo aqui é pedir para desafinar.

O que você não deve assistir no fim de semana #5

Zac Efron em "Um Homem de Sorte". Sortudo é o cidadão sem TV.

Zac Efron em “Um Homem de Sorte”. Sortudo é o cidadão sem TV.

Roupa Nova, animais em pânico e Zac Efron.

Saque o controle remoto, a faixa de protesto e fique de olho na lista da semana. 


Fique longe de…

“Behind The Music: Ice Cube”
VH1, sexta, 21h

Por que não assistir? O Behind The Music foi inventado para contar “vida, carreira, sucesso e tragédia” dos artistas. Ice Cube não é artista nem nos Estados Unidos nem no palco do Raul Gil. Logo, qual a lógica do programa?


“Vídeos Divertidos do Animal Planet”

Animal Planeta, sábado, 14h

Por que não assistir? É uma reunião de imbecis. Tem o imbecil que filma, o imbecil que acha bonito testemunhar o próprio cão levar um tombo, o imbecil com voz irritante que narra passo a passo a infelicidade do animal e o imbecil que assiste e acha graça. Reserve este horário para lavar o quintal. Quem sabe você escorrega e lança o “Vídeos Divertidos do Cretino”.


“Um Homem de Sorte”

HBO, sábado, 22h

Por que não assistir? Sargento da Marinha americana encontra uma foto durante sua passagem pelo Iraque. Encantado, decide carregar a imagem da jovem consigo. Conforme escapava dos ataques, reforçava a ideia de que a fotografia era uma espécie de amuleto que o livrava do mal. De volta aos Estados Unidos, decide encontrar a desconhecida mulher impressa naquele pedaço de papel. Após localizá-la, começa a trabalhar para ela. Subitamente se apaixonam. Não, não é a sinopse da próxima novela da esposa do Silvio Santos. É  a sinopse do filme que a HBO resolveu exibir às 22h de um sábado. “Um Homem de Sorte”, neste caso, é aquele sem televisão.


“Music Box In Concert – Roupa Nova Acústico”
Music Box Brazil, domingo, 10h30

Por que não assistir? Porque você não precisa assumir pra ninguém que ficou pra titio (a). Encare sua ruína amorosa de maneira digna. Se você é casado, não assista porque seus filhos precisam de um exemplo legal.

 

“Olívias na TV”
Multishow, domingo, 22h

Por que não assistir? É uma versão ficcional (e piorada) do “Saia de Justa”. Mais urgente que a reforma política é a reforma da dramaturgia no Multishow.