Participação de Marina Silva garante 4,7 pontos ao “Programa do Jô”

A presença da ex-senadora Marina Silva derrubou a audiência do “Programa do Jô”.

A entrevista, exibida na madrugada de quarta-feira (16), marcou 4,7 pontos de audiência.

O resultado ficou meio ponto abaixo do alcançado pela produção no dia anterior.

Na comparação com a última terça-feira, a diferença ainda é maior: 0,8 pontos.

Marina Silva não é a única personagem da campanha presidencial de 2014 a derrubar o ibope da TV.

Semana passada, Dilma Rousseff tirou Ratinho da vice-liderança de audiência com uma entrevista gravada em Brasília.

O palanque do Jô

Divulgação

Marina no “Programa do Jô”, Dilma no “Programa do Ratinho”. Próximo passo é Aécio Neves no show do João Kléber.

A participação de Marina Silva no “Programa do Jô” lançou um novo formato para a TV brasileira: o talk show eleitoral gratuito.

As perguntas do apresentador e das jornalistas que formam “As Meninas do Jô” pareciam ter a suprema e inabalável função de promover a ex-senadora, que acabou de se filiar ao PSB de olho na eleição presidencial de 2014.

A moleza dos entrevistadores propiciou a mais aborrecida sequência de frases feitas do ano.

Questionada sobre as intenções eleitorais, Marina lançou um blasé “eu não tenho como objetivo de vida ser presidente da República. Tenho como objetivo de vida um país melhor e um mundo melhor.”

Sobre objetivos, anunciou a máxima “aposentar a velha República e chamar a nova República”, repetida desde a época em que Eduardo Suplicy era new age.

Em relação à estratégia de governo, emulou o PMDB para concluir que “os ganhos da política econômica de FHC devem ser ampliados, assim como os ganhos da política social do Lula”.

Como um Pokémon, a provável vice (ela não confirmou sua posição na chapa de Eduardo Campos) repetia a cada 60 segundos as deixas “ativismo”, “reivindicação”, “mobilização”, “desenvolvimento sustentável”, “juventude”, “agentes”, “nação”, “rua” e “reivindicação”.

Muito ousada, ela formulou, em vários momentos, para deleite de Jô Soares, declarações misturando todas as expressões, casos de “juventude que veio pra rua”, “agente para mudar a nação” e “pauta de reivindicação”.

Antes de encerrar a assessoria de imprensa disfarçada de bate-papo, com direito a lágrimas, elogios rasgados e algum humor de ocasião, Jô pediu à equipe de Marina que “cuidem dela, por favor”.

Do programa dele, ninguém cuida faz muito tempo.