22 razões para lamentar o fim da MTV

Reunião de VJs para a gravação do especial "My MTV".

Reunião de VJs para a gravação do especial “My MTV”.

1. Faixas Temáticas

A pós graduação da programação. O mainstream batia palma para os professores da música. Fúria, YO!, Amp, Lado B e Mondo Massari.

2. Influência

Passa pela sua cabeça que a Jovem Pan tocava “Buddy Holly” e “Alright”? O Disk MTV sempre foi um termômetro para as rádios. Por isso, e somente por isso, tantos singles legais, do rock ao rap, ingressavam nas playlists.

3. Piores Clipes do Mundo

Quando a Marina Person apresentava, parecia um Disk MTV ao contrário. Mion melhorou introduzindo as pérolas videoclípticas, quadro em que as obras-primas eram dissecadas. Teve, ainda, uma temporada com João Gordo.

4. Hermes & Renato

O Monty Python que repetiu três vezes a sétima série. Como esperado, elenco foi subaproveitado pela Record.

5. Sabrina Parlatore e Cuca Lazarotto

Muitas VJs despertaram a paixão da audiência. Nenhuma delas com a intensidade destas duas. Por elas, o público aturava os clipes mais insuportáveis do Disk MTV.

6. Acústico

A MTV Brasil foi a que melhor aproveitou o formato unplugged. Paralamas, Gal Costa, Cássia, Titãs, Ira!, entre outros nomes do pop-rock-MPB, prestigiaram o projeto, responsável pela ressureição comercial de muita gente.

7. Vinhetas

Nenhuma emissora aberta do Brasil vai superar a ousadia estilística da MTV. As vinhetas institucionais, compartilhadas pelas redes globais, faziam companhia às originais chamadas de Al Dente, Supernova, VJ Por Um Dia, Top 10 EUA, Video Clash, Disk, Pulso, Ultrasom, Suor…

8. VMB

Melhor premiação realizada no Brasil. Ficou confusa quando as categorias foram alteradas, mas continuou divertida.

9. Debates

A MTV sempre apostou no confronto de ideias como alternativa de entretenimento – e audiência. O MTV Debate chegou a picos de 1,5 pontos em sua primeira temporada. O Barraco estará para sempre gravado na memória da TV pela ousadia nos anos 1990.

10. HIV

As campanhas de conscientização e prevenção fisgavam a atenção dos jovens porque fugiam das obviedades e do tom professoral.

11. South Park

A MTV adquiriu os direitos de exibição da série em 1998. A equipe de tradutores do canal fez as legendas mais íntegras da história da radiodifusão brazuca. Todos seriam presos se fizessem algo semelhante hoje em dia.

12. Al Dente

O Cine Privé da MTV. Passava basicamente clipes da Madonna e do Chris Isaak.

13. João Gordo

A MTV descobriu, meio por acaso, um excelente e descompromissado entrevistador.

14. Vacalática e Garoto Enxaqueca

A MTV exibia, nos anos 1990, curtas animados em seus intervalos.

15. 20 e Poucos Anos

Primeiro reality show da TV brasileira, seguiu a premissa de “The Real World” sem caricaturizar os participantes. Ou seja, soube adaptar a ideia para os padrões do Brasil.

16. Rockgol

A mesa redonda não era exatamente empolgante. O campeonato, porém, foi uma das melhores ideias colocadas em.prática. Até Silvio Luiz participou.

17. Teleguiado

Pedir clipes ao vivo, via telefone, logo após o Disk. A chance de tudo virar um programa de rádio exilado na TV era grande. Mérito do Cazé, que soube criar um universo por trás de uma simples prerrogativa.

18. Top Top

A melhor experiência do Brasil com listas musicais.

19. Covernation

O primeiro programa a dar algum significado à gigantesca perda dw tempo que é ter banda cover.

20. Ao Vivo

A MTV nunca teve medo de programação ao vivo. Mesmo em situações de risco, como a visita do Hanson ao Disk, que fechou a Afonso Bovero, VJs e equipe técnica foram adiante.

21. Verão

A MTV aproveitava o Verão para descansar alguns programas, testar outros e relaxar o público. O Luau e o Suor acumularam boas temporadas na emissora.

22. 24 Horas

Foi uma das primeiras emissoras de TV aberta a oferecer programação 24 horas por dia. Nos anos 1990, acreditem, isso não era tão habitual.

“South Park” é o Chaves da TV paga

South Park está no "line-up" da nova MTV.

South Park está no “line-up” da nova MTV.

A nova MTV será o terceiro canal pago distribuído no Brasil a exibir reprises de “South Park”.

A animação, lançada por aqui no fim dos anos 1990, é, atualmente, o carro-chefe da VH1 e do Comedy Central.

Juntos, esses veículos transmitem cerca de 15 episódios diariamente – o equivalente a uma temporada.

A Viacom, atual titular da marca MTV no Brasil, ainda não anunciou qual será a carga horária de “South Park” na grade do canal, que apostará suas fichas em um reality show com o Supla e uma revista eletrônica liderada pelo cantor Fiuk e o humorista Patrick Maia (ex-Morning Show).

Skid Row, Astrid e o primeiro merchandising da MTV Brasil

Astrid (centro) e os colegas da primeira "safra" de VJs da MTV.

Astrid (centro) e os colegas da primeira “safra” de VJs da MTV.

Astrid Fontenelle sempre se destacou dentro e fora da MTV por deixar seus entrevistados bem à vontade.

Em 1991, à frente do Disk, ela conversou com os integrantes do Skid Row.

O clima no encerramento do programa era tão bom que rendeu o primeiro merchandising (involuntário) da história da emissora.

Os cinco piores VJs da MTV

K-Sis. Algo deu errado no país das maravilhas da MTV.

K-Sis. Algo deu errado no país das maravilhas da MTV.

A MTV preparou edições especiais do “My MTV” para a sua despedida na TV aberta.

No lugar dos telespectadores, os ex-VJs  apresentarão seus programas e momentos prediletos.

Sabrina, Didi, Marina, Astrid, João Gordo, Mion e Cuca são presenças garantidas nesta maratona.

Para ajudar a MTV (o ideal seria ajudá-la em 2006, quando vestiu de Madonna  a estratégia e a enviou para apreciação do Sean Penn) na seleção deste casting, selecionei os cinco VJs que ninguém sente falta. Os mais indesejáveis destes (quase) 23 anos de história.

Coloca o pé no caixotinho. Chama o clipe aí.

5º Levy

Não lembro ao certo se o Levy é cria do “VJ por Um Dia” ou de alguma campanha de reciclagem de La Paz, mas as sacadas e brincadeiras do rapaz são infelizmente inesquecíveis. Chamado para micagens nos programas de auditório, como o horrível “Em Busca da Fama”, ele tentava a todo custo ser engraçado. Quando notava que estava passando vergonha, automaticamente tentava ser sério. E aí passava mais vergonha.

4º KL Jay

Atribuo meu distanciamento ao rap nacional durante a adolescência à incapacidade de entender o KL Jay. A faixa da meia-noite na MTV sempre foi o mestrado da audiência. Era preciso entender muito de música para acompanhar e aproveitar as dicas do Fúria, Amp, Lado B e Mondo Massari. KL Jay é realmente um especialista do rap, mas tem a dicção do Pingu, o que arruinava tudo. Até os peitos dos clipes do Dr.Dre ficavam estranhos.

3º Rafa

Drauzio Varella criou um quadro sobre autismo no Fantástico dez anos após a MTV entregar uns 3 ou 4 programas para um garoto autista. Cadê a originalidade, Drauzio? Rafa preencheu a cota de absurdos de um reality show que ajudou a MTV a escolher novos VJs. Ele não falava coisa com coisa, fugia da câmera, não tinha senso de humor e conseguia tornar o Keith Richards carretão. Parabéns pra ele.

2º Max Fivelinha

Era o Leão Lobo da MTV.

1º K-Sis

Essas meninas formaram a dupla pop-rock mais embaraçosa do mercado fonográfico. O figurino delas ficava entre o fetiche de ocasião do T.A.T.U e a rebeldia asséptica de Avril Lavigne. As canções coravam Mario Veloso. No comando do Disk MTV, elas eram incapazes de acertar a ordem (!) dos clipes. E de pentear o cabelo. A emissora demitiu elas seis meses após a estreia, quando reparou que o nível de retardamento havia superado o dos clipes que ficavam na parada musical naquela época.