O harém de Khaled

Khaled tocou em todas as rádios de São Paulo. Desde a rádio moderna até a rádio popular, todos executaram "El Arbi".

Khaled: o disco dele chegou ao top 10 de álbuns mais vendidos em São Paulo e Rio de Janeiro.

Você lembra do argelino Khaled?

No fim de 1999, muito antes de Glória Perez lançar “O Clone”, o Brasil viveu uma desagradável onda “arabian nights”.

Dono do hit “El Arbi”, ele apareceu em todas as paradas de videoclipe imagináveis e embalou animados quadros de dançarinas do ventre.

Para celebrar tamanho sucesso, sua gravadora o convocou para uma turnê pelos programas de TV mais queridos e populares do Brasil.

O vídeo abaixo traz a gloriosa a apresentação dele em uma edição de 2000 do “Domingão do Faustão”.

Notem, antes de qualquer coisa, a cara de turista bobo do cantor. A impressão que fica é a de que ele não abandonaria o sorriso mesmo que estivesse no Largo de Osasco. Ou ao lado de Eduardo Suplicy em um concurso de covers do Bob Dylan.

Por fim, reparem no recorde obtido por ele durante seu número (o primeiro corte de Faustão aparece com mais de 2 minutos de vídeo), e na abordagem muito elegante de Regina Casé, que praticamente empacotou o homem no palco para sair, logo em seguida, sacolejando como um trem da linha 7 da CPTM.

Em tempo: como era rotina naquela época, Faustão não venceu Gugu, apesar do inusitado espetáculo.

Anúncios

“Sushi Erótico” marcou a carreira de Faustão

"Sushi Erótico": pico de 29 pontos. Vestido de mendigo, Gugu bateu 33.

“Sushi Erótico”: pico de 29 pontos. Vestido de mendigo, Gugu bateu 33.

O “Domingão do Faustão” de 26 de outubro de 1997 não liderou o ibope. 

Na média, perdeu de 23 a 26 para o SBT, que exibia o “Domingo Legal”.

Apesar da derrota, nenhuma edição do programa obteve tamanha repercussão dentro e fora da Rede Globo.

Com a exibição do quadro “sushi erótico”, em que mulheres serviam de base para o banquete nipônico, Faustão virou tema de um extenso debate sobre os limites para se obter audiência.  

A atração foi transmitida ao vivo, por meio de link, em um restaurante paulistano.

Nair Belo era uma das comentaristas do show. Oscar Magrini e Marcio Garcia, os anfitriões. 

Gugu superou o reality gastronômico desnudo trajando uns trapos, “sentindo na pele” o drama de ser mendigo, mesmo expediente praticado por Rodrigo Faro semanas atrás.

Prova inequívoca de que a TV brasileira não se renova pelo menos desde os anos 1990.