Brincadeiras de quermesse lideravam ibope da TV há 22 anos

"Topa Tudo Por Dinheiro"  alcançava picos de 40 pontos em sua primeira fase. Programa chegou a ser cancelado, mas voltou ao ar em 2000.

“Topa Tudo Por Dinheiro” alcançava picos de 40 pontos em sua primeira fase. Programa chegou a ser cancelado, mas voltou ao ar em 2000.

O “Topa Tudo Por Dinheiro” foi o programa mais visto do SBT – e de toda a TV brasileira – em 22 de setembro de 1991.

Focado em brincadeiras bastante originais e inéditas, como “Prova do Martelo” e “Jogo do Pim”, a atração de Silvio Santos bateu o “Fantástico” nos minutos de confronto direto pelo elástico placar de 36 a 30 – a revista eletrônica só fechou a edição na liderança porque o “Show de Calouros” foi muito mal.


Os programas mais vistos entre 16 e 22 de setembro de 1991

GLOBO
São Paulo Já – 48
Jornal Nacional – 46
O Dono do Mundo – 44
Vamp – 42
Horário Político – 38
Curiosidade: “São Paulo Já” era o antigo nome do “SPTV”.

SBT
Topa Tudo Por Dinheiro – 36
Show de Calouros – 22
Carrossel – 20
Rosa Selvagem – 20
Sabadão Sertanejo – 19
Curiosidade: O “Show de Calouros” era exibido das 20h30 às 22h15. Atualmente, o Programa Silvio Santos pena para chegar aos dois dígitos – fica atrás de Band e Record constantemente.

MANCHETE
Ana Raio e Zé Trovão – 13
Documento Especial – 9
Cinema Nacional – 8
Jornal da Manchete – 6
Minissérie – 5
Curiosidade: Uma constante na trajetória da Manchete era a dificuldade em fidelizar o público que acompanhava suas novelas. Na época de “Pantanal”, a diferença entre a atração líder e a vice-líder superava os 10 pontos.

BAND
Clube do Bolinha – 9
Futebol – 9
Futebol – 9
Clube do Bolinha – 9
Honda Cine Emoção – 4
Curiosidade: A Band foi uma das pioneiras na criação de sessões patrocinadas. O “Sexta Sexy”, claro, nunca ganhou apoio.

RECORD
Super Tela – 6
Raul Gil – 5
Jornal da Record – 4
Especial Sertanejo – 4
Força Bruta – 4
Curiosidade: “Força Bruta” é parente muito próximo de “Força Total”, velha sessão de filmes de ação da Band.

Antes de “Carrossel”, SBT usou intervalo comercial para comunicar liderança de audiência e atraso de filme

Silvio Santos: um rapaz sincero.

Silvio Santos: um rapaz sincero.

O cancelamento de “Carrossel” não foi a primeira aventura do SBT anunciada ao público via intervalo comercial.

Em 1998, para comunicar uma vitória de Gugu sobre Faustão, Silvio Santos ditou um texto (podem reparar, em qualquer comunicado do SBT há um tom pimpão, de tio churrasqueiro) com as médias de ibope a cada trinta minutos ilustradas por desenhos dos apresentadores em um ringue de boxe.

Dez anos antes, para bater a Globo, o recurso foi acionado para avisar o novo horário de “Rambo”.

Programado para as 21h30, o filme foi atrasado até o fim de “Vale Tudo”, que teve capítulo duplo naquele dia.

Resultado: o SBT ficou 50 minutos apenas com a mensagem “Não se preocupe, quando terminar a novela da Globo você vai ver: Rambo”.

A Globo obteve picos acima dos 80 pontos quando enfrentou a tela congelada da concorrente, mas levou de 40 a 15 quando Stallone começou a atirar.

Dono do SBT, Silvio Santos encerra programa sem saber o nome da próxima atração

Silvio Santos poderia definir a grade do SBT em um sorteio da Tele Sena.

Silvio Santos poderia definir a grade do SBT em um sorteio da Tele Sena.

Incomodado com as sucessivas derrotas para o “Domingo Espetacular”, Silvio Santos realizou mudanças na programação do SBT.

O “Domingo Legal”, antes exibido das 11h às 15h, perdeu 2 horas de duração. Assim, o programa “Eliana” foi antecipado para as 13h. Tudo para “Roda a Roda” e “Programa Silvio Santos” entrarem no ar às 17h, quando a Record exibe “O Melhor do Brasil” – a ideia, segundo os números prévios, não foi muito boa, pois Rodrigo Faro marcou 10 pontos ante 7 da dobradinha da Anhanguera.

Para preencher as 2 horas vagas do horário nobre, uma edição especial de “Conexão Repórter” foi escalada às 22h. A escolha pelo jornalístico foi tão súbita que deixou o próprio Silvio Santos sem rumo. No encerramento de seu programa, ele foi incapaz de anunciar a próxima atração do SBT.

Quando a grade era estável, o apresentador simulava uma passagem de guarda para Marilia Gabriela. Perdido em suas próprias mudanças, o dono do canal resumiu sua despedida à fala “Tenho certeza que vocês continuarão com a programação do SBT”.

Não é a primeira vez que um apresentador passou apuros com a grade flutuante do canal. Em 2008, durante o telejornal “SBT Brasil”, os âncoras travaram na hora do “boa noite”.

“Sushi Erótico” marcou a carreira de Faustão

"Sushi Erótico": pico de 29 pontos. Vestido de mendigo, Gugu bateu 33.

“Sushi Erótico”: pico de 29 pontos. Vestido de mendigo, Gugu bateu 33.

O “Domingão do Faustão” de 26 de outubro de 1997 não liderou o ibope. 

Na média, perdeu de 23 a 26 para o SBT, que exibia o “Domingo Legal”.

Apesar da derrota, nenhuma edição do programa obteve tamanha repercussão dentro e fora da Rede Globo.

Com a exibição do quadro “sushi erótico”, em que mulheres serviam de base para o banquete nipônico, Faustão virou tema de um extenso debate sobre os limites para se obter audiência.  

A atração foi transmitida ao vivo, por meio de link, em um restaurante paulistano.

Nair Belo era uma das comentaristas do show. Oscar Magrini e Marcio Garcia, os anfitriões. 

Gugu superou o reality gastronômico desnudo trajando uns trapos, “sentindo na pele” o drama de ser mendigo, mesmo expediente praticado por Rodrigo Faro semanas atrás.

Prova inequívoca de que a TV brasileira não se renova pelo menos desde os anos 1990.