22 razões para lamentar o fim da MTV

Reunião de VJs para a gravação do especial "My MTV".

Reunião de VJs para a gravação do especial “My MTV”.

1. Faixas Temáticas

A pós graduação da programação. O mainstream batia palma para os professores da música. Fúria, YO!, Amp, Lado B e Mondo Massari.

2. Influência

Passa pela sua cabeça que a Jovem Pan tocava “Buddy Holly” e “Alright”? O Disk MTV sempre foi um termômetro para as rádios. Por isso, e somente por isso, tantos singles legais, do rock ao rap, ingressavam nas playlists.

3. Piores Clipes do Mundo

Quando a Marina Person apresentava, parecia um Disk MTV ao contrário. Mion melhorou introduzindo as pérolas videoclípticas, quadro em que as obras-primas eram dissecadas. Teve, ainda, uma temporada com João Gordo.

4. Hermes & Renato

O Monty Python que repetiu três vezes a sétima série. Como esperado, elenco foi subaproveitado pela Record.

5. Sabrina Parlatore e Cuca Lazarotto

Muitas VJs despertaram a paixão da audiência. Nenhuma delas com a intensidade destas duas. Por elas, o público aturava os clipes mais insuportáveis do Disk MTV.

6. Acústico

A MTV Brasil foi a que melhor aproveitou o formato unplugged. Paralamas, Gal Costa, Cássia, Titãs, Ira!, entre outros nomes do pop-rock-MPB, prestigiaram o projeto, responsável pela ressureição comercial de muita gente.

7. Vinhetas

Nenhuma emissora aberta do Brasil vai superar a ousadia estilística da MTV. As vinhetas institucionais, compartilhadas pelas redes globais, faziam companhia às originais chamadas de Al Dente, Supernova, VJ Por Um Dia, Top 10 EUA, Video Clash, Disk, Pulso, Ultrasom, Suor…

8. VMB

Melhor premiação realizada no Brasil. Ficou confusa quando as categorias foram alteradas, mas continuou divertida.

9. Debates

A MTV sempre apostou no confronto de ideias como alternativa de entretenimento – e audiência. O MTV Debate chegou a picos de 1,5 pontos em sua primeira temporada. O Barraco estará para sempre gravado na memória da TV pela ousadia nos anos 1990.

10. HIV

As campanhas de conscientização e prevenção fisgavam a atenção dos jovens porque fugiam das obviedades e do tom professoral.

11. South Park

A MTV adquiriu os direitos de exibição da série em 1998. A equipe de tradutores do canal fez as legendas mais íntegras da história da radiodifusão brazuca. Todos seriam presos se fizessem algo semelhante hoje em dia.

12. Al Dente

O Cine Privé da MTV. Passava basicamente clipes da Madonna e do Chris Isaak.

13. João Gordo

A MTV descobriu, meio por acaso, um excelente e descompromissado entrevistador.

14. Vacalática e Garoto Enxaqueca

A MTV exibia, nos anos 1990, curtas animados em seus intervalos.

15. 20 e Poucos Anos

Primeiro reality show da TV brasileira, seguiu a premissa de “The Real World” sem caricaturizar os participantes. Ou seja, soube adaptar a ideia para os padrões do Brasil.

16. Rockgol

A mesa redonda não era exatamente empolgante. O campeonato, porém, foi uma das melhores ideias colocadas em.prática. Até Silvio Luiz participou.

17. Teleguiado

Pedir clipes ao vivo, via telefone, logo após o Disk. A chance de tudo virar um programa de rádio exilado na TV era grande. Mérito do Cazé, que soube criar um universo por trás de uma simples prerrogativa.

18. Top Top

A melhor experiência do Brasil com listas musicais.

19. Covernation

O primeiro programa a dar algum significado à gigantesca perda dw tempo que é ter banda cover.

20. Ao Vivo

A MTV nunca teve medo de programação ao vivo. Mesmo em situações de risco, como a visita do Hanson ao Disk, que fechou a Afonso Bovero, VJs e equipe técnica foram adiante.

21. Verão

A MTV aproveitava o Verão para descansar alguns programas, testar outros e relaxar o público. O Luau e o Suor acumularam boas temporadas na emissora.

22. 24 Horas

Foi uma das primeiras emissoras de TV aberta a oferecer programação 24 horas por dia. Nos anos 1990, acreditem, isso não era tão habitual.

Anúncios

Rodrigo Faro sentiu na pele

Rodrigo Faro trocou sábado pelo domingo. Trocou seis por cinco.

Rodrigo Faro trocou sábado pelo domingo. Trocou seis por cinco.

A Record errou em sua programação de domingo. Não foi hoje, não foi semana passada, não foi no dia em que fizeram nu artístico durante o “Fala Que Eu Te Escuto”, mas sim em 2009.

Quando Gugu saiu do SBT, ele já estava em baixa. O “Domingo Espetacular” atormentava – e muito – a vida do apresentador. Mesmo assim, alguém achou boa ideia pagar um salário estratosférico a ele. Sem instigá-lo, envolvê-lo em um desafio. No fim, até a Band aproveitou a oportunidade para beliscar uns pontinhos.

Se aposentar o “Programa do Gugu” era uma necessidade financeira e estratégica, sacrificar Rodrigo Faro não era. Inicialmente, “O Melhor do Brasil” migrou do sábado para o domingo sem alterar sua formatação. A expectativa era de que o “Vai Dar Namoro?” fosse repetir os dois dígitos, assombrar a Globo, ensaiar uns passos musicais na cara de Eliana. Como a maioria das expectativas, morreu na beleza da semântica. Eliana continua em segundo lugar. A Record prossegue em terceiro.

Faro foi um achado da Barra Funda. Está longe de ser o melhor apresentador da TV, mas conseguiu substituir Márcio Garcia sem derrubar o programa ou a grade de sábado da emissora. Carismático, se aproximou do público e do mercado publicitário com surpreendente velocidade. Tudo graças a um diferencial: personalidade. Rodrigo aparenta tremenda satisfação e empatia no palco, o que, pode não parecer, acaba valendo simpatia extra do telespectador na hora de mudar de canal.

Enquanto os demais programas de auditório insistem quase em sua totalidade na cruzada de reformas, familiares desaparecidos e viagens de volta para a casa, ele resolveu constituir público com brincadeiras de palco e quadros de paquera. A originalidade também passa longe do cardápio, mas é a cópia menos ordinária disponível na praça – chegamos a um ponto em que até esforços do gênero merecem registro.

Ao obrigar Rodrigo Faro a se caracterizar de mendigo para emular o finado quadro “Sentindo na Pele”, apresentado por Gugu nos anos 1990, a Record mina o diferencial de seu melhor apresentador e acena para a consolidação do SBT na vice-liderança das tardes de domingo. Em linhas gerais, assumirá que não aprendeu nada com o insucesso de Gugu. E que não pretende assumir seu erro tão cedo.