“Clube do Carrossel” é pretexto pro SBT exibir mais reprises

As reprises têm monopolizado a programação do SBT.

SBT: até os jornais são reprisados. Bloco “SBT Brasil Manhã” tem cinco horas, mas não é inédito em sua totalidade.

A RedeTV! vende doze horas de sua programação diária para igrejas e quermesses dos mais diferentes credos e boletos bancários. Só na faixa das 7h às 0h, utilizada para o cálculo da média “comercial” de audiência, são 6h30 de milagres. Tempo suficiente para derrubar o ibope da emissora, mas não para torná-la a que menos exibe conteúdo inédito dentre as redes nacionais.

O SBT é a emissora “laica” do país. Em entrevista a Folha de São Paulo, Silvio Santos até explicou a razão de nunca vender horário para fins religiosos. Porém, se não entope a cabeça dos telespectadores com “Aleluia”, “Amém” e “Tá amarrado em nome de Jesus”, é a que mais despeja reprises no televisor alheio.

Das 9h às 12h45 o SBT exibe desenhos. Antigos a ponto de terem falhas na tela. Entre 12h45 e 14h30, apenas séries ruins são exibidas. São 2 episódios de “Full House” e 3 de “Arnold”. Estourada a cota de velharias com tecla SAP, começa a macarena de novelas da América do Sul, as prediletas do Silvio Santos. A Thalia tem até olheiras na enésima reprise de “Marimar”, no ar às 14h30. Só às 17h30 entra algo do CDT da Anhanguera: o “Casos de Família”, de Cristina Rocha.

Desde o dia 29, aproveitando-se do único sucesso legítimo do canal nos últimos anos, um tal “Clube do Carrossel” passou a ser transmitido no lugar de “As Visões de Raven”, outra porcaria indigna de nota. O que o “Clube do Carrossel” exibe? Isso mesmo, desenhos animados. Em uma mistura de “Vídeo Show” e “Disk MTV”, as crianças chamam enlatados para a telinha. A engenhoca só desaparece do ar às 19h20, quando “Eu, A Patroa e As Crianças” zera seu repertório mais uma vez.

Não há problema nenhum em exibir (ou reexibir) enlatados. Nem em reapresentar seus sucessos. Todas as emissoras, com exceção da Globo e da Record, reprisam oficialmente programas de suas grades. A internet e o crescimento da TV paga realmente mudaram a dinâmica no consumo de entretenimento. O que causa muita estranheza é um canal líder de mercado engessar mais da metade de sua grade com um rodízio de séries, novelas e filmes com capa rachada e rolo mofado. Se lembrarmos que “Chiquititas” não é propriamente uma atração inédita, e que a faixa premium, exibida após o Ratinho, tem sessões de filme, a média de produções originais fica em torno das 10 horas. Só aos sábados e domingos a relação é alterada, graças aos programas de auditório.

Vou colocar um copo de água em cima do meu televisor de tubo e rezar pelo SBT agora mesmo.

Trilhas sonoras da Globo perdem força no mercado

Capa de "Mulheres Apaixonadas" volume 1. Disco custava entre 35 e 55 reais.

Capa de “Mulheres Apaixonadas” volume 1. Disco custava entre 35 e 55 reais.

Termômetros das rádios FM no passado, as trilhas sonoras das novelas da Globo recebem cada vez menos atenção do público.

Apenas dois títulos (“Paraíso” e” A Favorita”) figuraram nos balanços anuais divulgados entre 2007 e 2011 pela Associação Brasileira dos Produtores de Discos (ABPD).

Há dez anos, o cenário era oposto. As trilhas monopolizavam as prateleiras das lojas. Cinco dos vinte discos mais vendidos tinham selo da Som Livre, sendo que o líder do levantamento, “Mulheres Apaixonadas”, era duplo.

Para compensar a queda nas vendas, a Som Livre passou a investir em padres cantores e talentos da música gospel. Escolha, até aqui, acertada, se levarmos em conta as tiragens de Fábio de Melo e Marcelo Rossi.

Atualmente, 72% da música comercializada no Brasil advém da mídia física.

“Chiquititas” é herança maldita

Elenco de "Chiquititas". O esforço nem sempre vale a pena.

Elenco de “Chiquititas”. O esforço nem sempre vale a pena.

O SBT quer ser o grande polo da teledramaturgia brasileira. De novo.

Quem tem mais de 20 anos sabe que não é a primeira vez que Silvio Santos acordou entusiasmado com as possibilidades de audiência e faturamento que as novelas podem render. Sabe, também, como isso pode machucar as retinas.

Em 1996, por exemplo,  a “TV mais feliz do Brasil” resolveu lançar três folhetins de uma só vez: “Colégio Brasil”, uma espécie de “Malhação” vivida no Rochdalle, “Razão de Viver”, cujas falas poderiam ilustrar aqueles PPTs com imagens de flores e cães felizes, e “Antônio Alves, Taxista”, o degrau mais desgraçado da carreira de Fábio Jr.  Após dezoito (eu sei, o número é bem maior) mudanças de horário, todas foram sumariamente substituídas pela Thalia. Findava outro projeto de Silvio Santos, o Vanderlei Luxemburgo das telenovelas.

O grande problema da ficção brasileira não é a falta de dinheiro, mas sim a falta de criatividade de quem se mete a desenvolvê-la. O país tem, sim, anunciantes e investidores dispostos a arriscar. Basta alguém oferecer um bom projeto. Como é muito trabalhoso escrever um roteiro original, montar um exército de profissionais, selecionar um bom casting e contratar uma equipe técnica eficiente, a intelligentsia noveleira opta por aplaudir qualquer pateta com capital próprio (no caso, o SBT). No lugar da verdadeira criação, o processo é resumido a manifestações de pura e simples adulação. Esse fenômeno, notado também no cinema, explica, entre outras coisas, porque o Netflix jamais geraria “House Of Cards” ou “Orange Is The New Black” caso fosse brasileiro.

Não quero cravar com este artigo que o conchavo e o corporativismo devem ser apagados do país. Não existe Brasil sem conchavo e corporativismo. Porém, tudo tem um limite. Ninguém precisa entender muito de roteiro ou televisão pra saber que “Chiquititas” é um completo desastre. Cheia de cores e analogias cretinas sobre a imaginação das crianças, a abertura é uma azia visual. O texto, insosso, lembra as deixas do “Telecurso 2º Grau”. A interpretação dos atores veteranos é digna de pena – Carla Fioroni, a zeladora Ernestina, passeia pelo orfanato como se procurasse o banco de Carlos Alberto de Nóbrega. Sem qualquer tino de atuação, os intérpretes mirins, supostas estrelas da novela, parecem aquelas crianças prodígio que repetem “Itaquaquecetuba” para o Raul Gil ajoelhado no palco. Por que parabenizar o SBT? Por que parabenizar Iris Abravanel?

“Chiquititas” deve sair do ar apenas em 2014. Preparem-se para o remake do remake de “Carrossel”. O projeto não tem fim.

Primeira vitória de Barrichello na Fórmula 1 garantiu picos de 34 pontos

Rubinho: vitória na Alemanha foi a primeira conquistada na categoria.

Rubinho: vitória na Alemanha foi a primeira conquistada na categoria.

Foi em 30 de julho de 2000,  no velho traçado do circuito de Hockhenheim, que Rubens Barrichello conquistou sua primeira vitória na Fórmula 1.

A corrida foi a terceira maior audiência da Globo naquele domingo. Com picos de 34 pontos, alcançados às 10h30 (hoje as provas marcam entre 10 e 12 quando estão nas últimas voltas), perdeu apenas para os programas “Fantástico” e “No Limite”.

Abaixo, você confere as maiores audiências das seis principais emissoras de São Paulo entre 24 e 30 de julho de 2000

GLOBO
No Limite  45
Laços de Família  44
Jornal Nacional  41
Uga Uga  40
Fantástico  37

Curiosidade: Danielle Winits era o principal chamariz de ‘Uga Uga’.

SBT
SBT Repórter  23
Topa Tudo Por Dinheiro  22
Domingo Legal  22
Cine Espetacular  21
Tela de Sucessos  19

Curiosidade:  O “Domingo Legal” venceu o “Domingão do Faustão” em várias semanas de 2000, mas a maior diferença entre os dominicais aconteceu em 2001.

RECORD
Cidade Alerta  14
Raul Gil  9
Jornal da Record  8
Pokémon  8
Cine Maior  8

Curiosidade: Datena apresentava o “Cidade Alerta” em 2000.

BAND
Sábado em Hollywood  7
Futebol  7
Futebol  6
Cine Privê  4
Cine Premium  4

Curiosidade: O Cine Privé era exibido diariamente pela Band.

GAZETA
Allegria Geral  5
Mulheres – Parte I  4
Festa do Mallandro  4
Mulheres – Parte II  4
Ligação  4

Curiosidade: O “Mulheres” dava picos de 12 pontos quando Leão Lobo contava fofocas.

REDETV!
A Feiticeira  4
Jornal da TV  3
Eu Vi Na TV  3
Friends  3
Perfil 2000  2

Curiosidade: “A Feiticeira” e “Jeannie É Um Gênio” ficaram por anos entre as atrações mais vistas da RedeTV!